SACOLAS PLASTICAS CONTRIBUINDO COM A DESTRUIÇÃO DO PLANETA

27 08 2009

Para quem ainda não se convenceu que sacolas plasticas, isso mesmo aquelas de mercado,  aqui estão mais informações para deixar a preguiça de lado e dizer não as sacolinhas de plástico.

1 – Você não recicla as sacolinhas ao usá-las na lixeira! Esse é o grande mito que faz com que pessoas esclarecidas continuem usando essas sacolinhas de plástico. A principal razão é que apesar do reaproveitamento em casa, essas sacolinhas não podem ser feitas de plástico reciclável. Como elas são destinadas para embalar alimentos, é obrigatório que elas sejam fabricadas com um plástico novo. E pior, a reciclagem não dá conta desse aumento de plástico no planeta. Ela só consegue eliminar 20% do plástico que é produzido todos os anos. O restante vai para bueiros, rios e mares, onde pode causar enchente e matar peixes, tartarugas, bouvinos e outros animais engasgados. Uma sacolinha plástica demora 400 anos para se decompor.
2 – Outra coisa aterrorizante é que muitas dessas sacolinhas vão parar no mar de plástico que flutua no oceano. Ele representa uma camada de 100 quilômetros de extensão que vai da costa da Califórnia até o meio do caminho para o Japão. Isso tudo com uma profundidade de 10 metros.
3 – Elas são as principais vilãs dos alagamentos urbanos, pois entopem os bueiros. Para quem mora em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, frequentemente assoladas por esse tipo de catástrofe, este já seria um bom argumento para não carregar as compras em sacolas plásticas.
4 – As sacolinhas de plástico oxibiodegradável, que vem sendo adotadas por muitas redes de supermercados, não são biodegradáveis. Elas se decompõem em pedaços em 18 meses, mas AINDA não há prova que elas desapareçam da natureza. E pior, na forma de micro-bolinhas esse plástico pode entrar na cadeia alimentar de peixes e…causar um grande problema ambiental.
5 – Quanto menos pessoas usarem sacolinhas de plástico, mais as redes de supermercado vão SE TOCAR que nem todo mundo quer viver consumindo 93 sacolinhas por ano. Quem sabe assim não surjam outras opções menos poluentes.

O primeiro dias sem sacolas de plástico – 15 de julho de 2009


1 – Joguei no lixo da reciclagem todas as sacolinhas de plástico que estavam guardadas no porta-saco, aquela peça de decoração de cozinhas de gosto duvidoso, que compramos, ou ganhamos e onde depositamos todas as centenas de sacolinhas de plástico que pegamos no supermercado.  Na hora, bateu uma crise de abstinência e pensei: “como vou fazer quando passear com o cachorro?”
Solução – Vou levar uma folha de jornal! É mais limpo e rápido para recolher a sujeira que o cachorro possivelmente fizer na rua. Outra vantagem é que não dá aquela sensação horrível de contato “próximo” .
Depois pensei: “E lixeira do banheiro?” Este sempre foi o segundo fator que causava minha dependência das famigeradas sacolinhas.
Solução – Comprei um rolo com 40 sacolinhas de lixo (de plástico verdadeiramente reciclado!) de 15 litros. O custo foi de R$ 4  e elas devem durar pouco mais de um mês. No lixo da casa eu já usava esse tipo de saco de lixo, que são maiores e mais resistentes. O custo mensal é de R$ 20. Viver sem as sacolinhas de supermercado vai representar um acréscimo de R$ 24   nas minhas despesas mensais. 

A primeira compra..

primeira-compra.jpg

Depois de anunciar que não usaria mais sacolinhas de plástico fiquei enrolado para ir ao supermercado. Uma dia, depois de voltar do trabalho e em um horário bem ruim para ter impulsos ambientais, cheguei a conclusão que não dava mais para adiar. Apesar de estar cansada e sem a tal bolsa retornável de compras, respirei fundo e decidi seguir com a promessa de viver sem sacolinhas de plástico. No supermercado fui atrás de uma bolsa de compras, afinal eu tinha apenas uma que era pequena e difícil de carregar. Para a minha surpresa eles tinham um modelo novo, maior e mais confortável para carregar. Comprei uma e desenbolsei R$ 7.
Durante a compra fiquei meio irritada com o excesso de embalagens que somos obrigados a levar para casa quando pegamos frutas nos supermercados. Por que embalar tanto os alimentos? Geralmente esse tipo de informação passa batido até para quem escreve sobre meio ambiente, mas no dia, não teve como não fazer a conta. Foram cinco tipos de frutas e verduras inutilmente embalados com isopor e plástico. Um saco…literalmente.

Quando cheguei em casa e coloquei a sacola em cima da mesa fiquei feliz por lembrar que o tal “guarda-saco” estava vazio. Outra coisa interessante é que comprei menos coisas inúteis, pois sabia que teria apenas uma sacola para carregar tudo. A partir de hoje comecei a levar a sacola de compras dentro da bolsa, vai ser minha companheira para as passadas rápidas no mercado. Vamos ver como vai ser a próxima compra, em outra rede varejista e onde devo fazer a tal compra mensal de produtos de limpeza.

 

(Juliana Arini)
Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: