MARAVILHAS PELO MUNDO-NATUREZA

27 08 2009

SALTO ÁNGEL- MAIOR QUEDA D\’ CACHOEIRA DO MUNDO 

Salto Angel, na Venezuela, onde está a mais extensa cachoeira do planeta com quase 1 quilômetro de queda d’água. Com 979 metros de altura, sendo 808 em queda livre, o Salto Ángel é a maior queda d’água do mundo.

Leia o resto deste post »





SACOLAS PLASTICAS CONTRIBUINDO COM A DESTRUIÇÃO DO PLANETA

27 08 2009

Para quem ainda não se convenceu que sacolas plasticas, isso mesmo aquelas de mercado,  aqui estão mais informações para deixar a preguiça de lado e dizer não as sacolinhas de plástico.

1 – Você não recicla as sacolinhas ao usá-las na lixeira! Esse é o grande mito que faz com que pessoas esclarecidas continuem usando essas sacolinhas de plástico. A principal razão é que apesar do reaproveitamento em casa, essas sacolinhas não podem ser feitas de plástico reciclável. Como elas são destinadas para embalar alimentos, é obrigatório que elas sejam fabricadas com um plástico novo. E pior, a reciclagem não dá conta desse aumento de plástico no planeta. Ela só consegue eliminar 20% do plástico que é produzido todos os anos. O restante vai para bueiros, rios e mares, onde pode causar enchente e matar peixes, tartarugas, bouvinos e outros animais engasgados. Uma sacolinha plástica demora 400 anos para se decompor.
2 – Outra coisa aterrorizante é que muitas dessas sacolinhas vão parar no mar de plástico que flutua no oceano. Ele representa uma camada de 100 quilômetros de extensão que vai da costa da Califórnia até o meio do caminho para o Japão. Isso tudo com uma profundidade de 10 metros.
3 – Elas são as principais vilãs dos alagamentos urbanos, pois entopem os bueiros. Para quem mora em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, frequentemente assoladas por esse tipo de catástrofe, este já seria um bom argumento para não carregar as compras em sacolas plásticas.
4 – As sacolinhas de plástico oxibiodegradável, que vem sendo adotadas por muitas redes de supermercados, não são biodegradáveis. Elas se decompõem em pedaços em 18 meses, mas AINDA não há prova que elas desapareçam da natureza. E pior, na forma de micro-bolinhas esse plástico pode entrar na cadeia alimentar de peixes e…causar um grande problema ambiental.
5 – Quanto menos pessoas usarem sacolinhas de plástico, mais as redes de supermercado vão SE TOCAR que nem todo mundo quer viver consumindo 93 sacolinhas por ano. Quem sabe assim não surjam outras opções menos poluentes.

O primeiro dias sem sacolas de plástico – 15 de julho de 2009


1 – Joguei no lixo da reciclagem todas as sacolinhas de plástico que estavam guardadas no porta-saco, aquela peça de decoração de cozinhas de gosto duvidoso, que compramos, ou ganhamos e onde depositamos todas as centenas de sacolinhas de plástico que pegamos no supermercado.  Na hora, bateu uma crise de abstinência e pensei: “como vou fazer quando passear com o cachorro?”
Solução – Vou levar uma folha de jornal! É mais limpo e rápido para recolher a sujeira que o cachorro possivelmente fizer na rua. Outra vantagem é que não dá aquela sensação horrível de contato “próximo” .
Depois pensei: “E lixeira do banheiro?” Este sempre foi o segundo fator que causava minha dependência das famigeradas sacolinhas.
Solução – Comprei um rolo com 40 sacolinhas de lixo (de plástico verdadeiramente reciclado!) de 15 litros. O custo foi de R$ 4  e elas devem durar pouco mais de um mês. No lixo da casa eu já usava esse tipo de saco de lixo, que são maiores e mais resistentes. O custo mensal é de R$ 20. Viver sem as sacolinhas de supermercado vai representar um acréscimo de R$ 24   nas minhas despesas mensais. 

A primeira compra..

primeira-compra.jpg

Depois de anunciar que não usaria mais sacolinhas de plástico fiquei enrolado para ir ao supermercado. Uma dia, depois de voltar do trabalho e em um horário bem ruim para ter impulsos ambientais, cheguei a conclusão que não dava mais para adiar. Apesar de estar cansada e sem a tal bolsa retornável de compras, respirei fundo e decidi seguir com a promessa de viver sem sacolinhas de plástico. No supermercado fui atrás de uma bolsa de compras, afinal eu tinha apenas uma que era pequena e difícil de carregar. Para a minha surpresa eles tinham um modelo novo, maior e mais confortável para carregar. Comprei uma e desenbolsei R$ 7.
Durante a compra fiquei meio irritada com o excesso de embalagens que somos obrigados a levar para casa quando pegamos frutas nos supermercados. Por que embalar tanto os alimentos? Geralmente esse tipo de informação passa batido até para quem escreve sobre meio ambiente, mas no dia, não teve como não fazer a conta. Foram cinco tipos de frutas e verduras inutilmente embalados com isopor e plástico. Um saco…literalmente.

Quando cheguei em casa e coloquei a sacola em cima da mesa fiquei feliz por lembrar que o tal “guarda-saco” estava vazio. Outra coisa interessante é que comprei menos coisas inúteis, pois sabia que teria apenas uma sacola para carregar tudo. A partir de hoje comecei a levar a sacola de compras dentro da bolsa, vai ser minha companheira para as passadas rápidas no mercado. Vamos ver como vai ser a próxima compra, em outra rede varejista e onde devo fazer a tal compra mensal de produtos de limpeza.

 

(Juliana Arini)




Fotos de familia!

27 08 2009

Algo Incomum?

 

 

 

 

 

 

 

 

 





REDE GLOBO DE TELEALIENAÇÃO

22 07 2009

 ALIENANDO PESSOAS

Rede+Globo+Aqui+N%C3%A3o+Logo

Como foi que Lula, que tanto criticava a TV Globo pelo encaminhamento que ainda hoje pratica se passou para o lado da maior rede de telealienação? A resposta está na dívida da emissora para com o BNDES que a impede de sequer tangenciar a verdade em sua programação e, assim, agradar enormemente ao desgoverno petista. Vergonha das vergonhas para Ana Paula Padrão, outrora boa jornalista, hoje reduzida a áulica portadora de lentes cor de rosa incapaz de sequer tangenciar a notícia…

 

           Antes de mais nada, é muito bom que todos revejam o documentário sobre a Globo feito pela BBC de Londres. Chama-se ‘Brazil: Beyond Citzen Kane’, (Além do Cidadão Kane) que Roberto Marinho impediu a entrada no Brasil por meios jurídicos de questionáveis a abertamente corruptos. A página CMI – Mídia Independente, disponibiliza o filme para download gratuito!

            Maiores informações de download (o vídeo tem 423 Mb em formato AVI) em Muito Além do Cidadão Kane

Lamentemos o que a mais assistida rede nacional de telealienação faz com a população: desinforma, confunde, bajula o governo e omite a verdade! Lamentemos as declarações de Palocci, na morte do “Doutor Roberto” que não se sabe onde foi buscar o compromisso de Marinho com a “construção da democracia brasileira”. Lamentemos o presidente Lula que disse ser o falecido “um homem que veio ao mundo para prestar serviços à comunicação, à educação e ao futuro do Brasil”. Frase ainda mais triste se recordamos um discurso feito em Sergipe, em 6 de setembro de 1987. Lula, então deputado federal, disse o seguinte: “Nós hoje somos um país com praticamente 20 milhões de crianças abandonadas. Somos um país com 16 milhões de analfabetos. Somos um país onde a história é contada pela Rede Globo de Televisão porque o senhor Roberto Marinho não faz outra coisa a não ser mentir para o povo”.

cmi

Pior Ainda!

Se em 1987 e em 1989 (como se vê no excelente documentário “Além do Cidadão Kane”, disponibilizado na página da Central de Midia Independente) Lula criticava severamente a parcialidade e cegueira da Rede Globo de Telealienação, a emissora, sempre áulica, hoje defende os pontos de vista do PT, sempre contra o povo brasileiro.

Há algum tempo, o “Jornal da Globo”, que passa tarde da noite e é apresentado normalmente pela Ana Paula Padrão, gozava de alguma credibilidade. Fatos recentes excluem totalmente esta pífia credibilidade…

Quando o noticiário nacional, em todas as outras emissoras de TV, Rádio e Jornais informavam dos problemas envolvendo a remessa escusa de divisas pelo presidente do Banco Central, assim como pelo presidente do Banco do Brasil, além de informar que o presidente do Banco Central sonegou imposto de renda e cometeu falsidade ideológica junto à Justiça Eleitoral, enquanto o presidente Kasseb, do Banco do Brasil, desviava recursos do Banco para a aquisição de uma monumental e suntuária sede para o PT, o “Jornal da Globo”, na voz de Ana Paula Padrão “anunciava”: “a economia finalmente atingiu a retomada do crescimento!” ou “jacaré dá luz a filhote no zoológico de Recife”, ou ainda “Lula vibra com o filme Pelé Eterno!”

A Globo é assim: quando interessa – tem dívidas monumentais com o BNDES e não pode contrariar o governo, qualquer governo – nada de manchetes, nada de noticiário, muita auto-referência – fala-se dos atores de novelas no Faustão, fala-se de novos grupos desconhecidos de rock ou pagode, mas nada que interesse para informar a população quanto ao que de fato está acontecendo no Brasil.

Apenas para relembrar, durante a ditadura militar, a TV Globo foi adesista de primeira hora, sempre contra o povo brasileiro e sua censura interna sempre foi tão rigorosa que deixava atônitos os censores da ditadura! Agora, com a anunciada volta da censura via sistema de regulação de áudio-visual do Ministério da Cultura (que não tem dinheiro para ninguém, portanto carece de moral para regular o que quer que seja neste setor!)

 

Para encerrar, é muito bom rever o documentário sobre a Globo feito pela BBC de Londres. Chama-se ‘Brazil: Beyond Citzen Kane’, (Além do Cidadão Kane) que Roberto Marinho impediu a entrada no Brasil por meios jurídicos de questionáveis a abertamente corruptos. A página CMI – Mídia Independente, disponibiliza o filme para download gratuito!

 

 http://www.culturabrasil.org/velhinhadetaubate.htm





Globo: tudo a ver com o poder

22 07 2009

Márcio Barreto original PSTU

? Para comemorar seus 40 anos, a TV Globo colocou no ar uma série de programas para exaltar suas qualidades e contribuições para a sociedade brasileira. Contudo, a história da emissora é bem diferente. A emissora tem uma extensa ficha de serviços prestados à elite, ao sistema que a beneficia e aos governos que lhe serviram de cúmplices.

Durante toda a programação para celebrar a entrada no ar da TV Globo, em 26 de abril de 1965, não faltaram declarações entusiasmadas de gente do governo e da nata da elite nacional, destacando a importância da emissora fundada por Roberto Marinho. Algo que não poderia ser diferente, já que a história da Globo praticamente se confunde com a dos poderosos.

O fato do nascimento da emissora quase coincidir com o do Golpe de 1964 não é mera coincidência. A Globo nasceu e cresceu na sombra e sob o patrocínio dos militares da ditadura e do imperialismo. Sua instalação com que na época havia de melhor em tecnologia está vinculada ao financiamento, ilegal, de US$ 4 bilhões, feito pelo grupo norte-americano Time-Life, como parte do projeto de?combate ao comunismo? no Terceiro Mundo.

Nunca tendo sido de fato obrigada a saldar sua dívida, a Globo a pagou com serviços prestados à ditadura. O que ficou explícito numa declaração do nefasto general Garrastazu Médici: ?Sinto-me feliz todas as noites quando ligo a televisão para assistir ao Jornal Nacional. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, no noticiário da TV Globo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de trabalho?.

O ?tranqüilizante? vinha no formato da omissão ou distorção dos fatos, particularmente do que ocorria nos porões da ditadura. A Globo, por exemplo, esteve à frente da divulgação da versão de suicídio dada para o assassinato do jornalista Vladimir Herzog, em 1975, e, já no crepúsculo da ditadura, em 25 de janeiro de 1984, da ?transformação? do primeiro comício das ?Diretas Já? em festa pelo aniversário da cidade de São Paulo.

Tal prática lhe valeu o repúdio dos manifestantes que, país afora, passaram a saudar os repórteres da emissora com a palavra de ordem? O povo não é bobo, fora a Rede Globo!?.

Com a queda da ditadura, a Globo procurou adaptar-se aos ventos democratizantes e à nova elite dominante: canonizou Tancredo Neves e a ?Nova República?, transformou-se em ?fiscal número um? de Sarney e seu Plano Cruzado e, diante de uma nova crise que ameaçava o regime burguês, cumpriu papel determinante na criação do personagem-presidente Collor, ?o caçador de marajás?, beneficiado pela deprimente edição do último debate com Lula, em 1989.

A manipulação a favor de Collor foi tão escandalosa que rendeu o documentário Além do Cidadão Kane, produzido na Inglaterra e, até hoje, praticamente banido do acesso ao público.

Na ?Era FHC?, a história não foi diferente. Porta-voz do Plano Real e propagandista das privatizações fraudulentas, a Globo foi contemplada com um empréstimo de US$ 38 milhões da Caixa Econômica Federal.

Globo e Lula: tudo a ver
Assim que Lula assumiu a presidência, a Globo tratou de se adequar à nova situação. Além das críticas pontuais serem facilmente suplantadas pelos elogios rasgados à política neoliberal de Lula, a Globo passou a preencher sua programação com exemplos? comoventes? de gente que, assim como o presidente, teve uma trajetória de superação de obstáculos e conquistas feitas com base no esforço pessoal.

Um apoio pago a preço de ouro: apesar de ter um faturamento anual de cerca de
R$ 4 bilhões, somente com a TV, o grupo dos Marinho acumulou, devido a investimentos malsucedidos na década de 1990, uma dívida de quase R$ 6 bilhões. Desde que chegou ao poder, Lula tem se empenhado para liberar linhas de crédito para a Globo e para ?refinanciar? a dívida, por intermédio do BNDES.

Além disso, Lula tem sido campeão na destinação de verba publicitária para a emissora. Hoje, mais de 60% do orçamento de quase R$ 400 milhões que o governo reserva para a área são dados à Globo. Enquanto isso, todas as emissoras públicas, juntas, recebem 1,7% do orçamento. Tanta dedicação foi explicada por José Dirceu: salvar a Globo é uma ?questão de segurança nacional?.

A arte de alienar e refazer o passado
Do ponto de vista dos interesses da burguesia nacional e seus aliados, a frase de Dirceu está mais do que correta. Parte de um dos maiores grupo de comunicação do mundo ? que vai do jornalismo impresso ao cinema ? a Rede Globo é peça importante para a sustentação do regime.

Não apenas por aquilo que veicula ou deixa de transmitir, mas também pela forma como o faz. Sua programação está destinada a ?formar? gente medíocre e alienada. Tendo conquistado o posto de fonte quase exclusiva de entretenimento para nossa miserável população, a emissora usa e abusa de sua alta qualidade para cumprir esse papel.

Sob o aspecto sedutor das novelas, são propagadas normas de comportamento e a ideologia da ?felicidade ao alcance de todos?; dos telejornais às minisséries, ecoa o discurso sobre nossa ?identidade nacional? e, a todo minuto, vende-se a idéia de ?cidadania? e respeito às leis e instituições burguesas.

É óbvio que há exceções. Mas mesmo os programas com certa qualidade e a inclusão de temas polêmicos ? como homossexualidade, racismo etc. ?, que vez ou outra surgem na programação, respondem à lógica ?global?. Exibidos geralmente em horários proibitivos para a maioria da população trabalhadora, esses programas atendem fundamentalmente às necessidades da própria emissora: manter um diálogo com o filão mais crítico do público.

É sob esse ângulo que também devemos analisar a semana de comemorações pelos 40 anos. Ela foi parte de uma das práticas mais bem executadas pela emissora: a capacidade de adaptar-se às mudanças sociais, mudando, se necessário, sua própria história.

Neste aspecto, a Globo é de um cinismo nojento. Na época do ?Fora Collor?, em 1992, depois dos muitos serviços prestados ao presidente, a emissora tentou nos fazer crer que praticamente levou os ?cara-pintadas? às ruas por estar transmitindo a minissérie ?Anos Rebeldes?; no ano passado, em meio às exigências de abertura dos arquivos da ditadura, a emissora levou ao ar, no programa ?Linha Direta?, dramatizações novelescas sobre os assassinatos da estilista Zuzu Angel e de Herzog, apagando sua colaboração na farsa montada em torno desses crimes.

Seu ?balanço? de 40 anos vai na mesma direção. Acreditando piamente na letra de seu irritante jingle ?Diga bom dia?, que prega ?mais uma chance de recomeçar?, a Globo pensa que está refazendo sua própria história. Algo impossível. Queira ou não, a Globo ainda será obrigada a prestar contas de sua verdadeira trajetória, quando o povo, apesar da emissora, tomar finalmente a História em suas mãos.

Email:: ddddd
URL:: www.pstu.org.br/principal.asp





“ANARQUIA” ENTENDA!

22 07 2009

 Em artigo bastante contundente e expressivo, Errico Malatesta, discípulo italiano do russo Bakunin, discorre sobre o que é e o que se deve fazer Rumo à Anarquia.

 

 Em primeiro lugar, deve-se desprezar concepções errôneas segundo as quais “anarquia” seria sinônimo de “bagunça”. Anarquia é ausência de governo e mesmo de atividade parlamentar; que os agentes políticos devem atuar diretamente em busca de manter e ampliar todas as formas de participação nos aspectos decisórios da sociedade em que vivem. Ação Direta, aliás, é o nome que adotam várias organizações anarquistas pelo mundo afora.

    Diz-nos Malatesta em seus “Escritos Revolucionários” que “Se quiséssemos substituir um governo por outro, isto é, impor nossa vontade aos outros, bastaria, para isso, adquirir a força material indispensável para abater os opressores e colocarmo-nos em seu lugar * Mas, ao contrário, queremos a Anarquia, isto é, uma sociedade fundada sobre o livre e voluntário acordo, na qual ninguém possa impor sua vontade a outrem, onde todos possam fazer como bem entenderem e concorrer voluntariamente para o bem-estar geral. Seu triunfo só poderá ser definitivo quando universalmente os homens não mais quiserem ser comandados ou comandar outras pessoas e tiverem compreendido as vantagens da solidariedade para saber organizar um sistema social no qual não mais haverá qualquer marca de violência ou coação”.

    A atividade do anarquista, do socialista utópico (em sua sublime acepção de conquista da Esperança possível) não é violenta nem repentina, mas gradual, pedagógica, passo a passo.

    “Não se trata de chegar à anarquia hoje, amanhã ou em dez séculos, mas caminhar seguramente rumo à anarquia hoje, amanhã e sempre. A anarquia é a abolição do roubo e da opressão do homem pelo homem, quer dizer, abolição da propriedade privada dos meios materiais e espirituais de produção e do governo formal; a anarquia é a destruição da miséria, da superstição e do ódio entre as pessoas. Portanto, cada golpe desferido nas instituições da propriedade privada dos meios de produção e do governo é um passo rumo à anarquia. Cada mentira desvelada, cada parcela de atividade humana subtraída ao controle da autoridade, cada esforço tendendo a elevar a consciência popular e a aumentar o espírito de solidariedade e de iniciativa, assim com a igualar as condições é um passo a mais rumo à anarquia.”

anarquia

Se para ti, “anarquia” é sinônimo de caos, desordem, confusão, desorganização e distúrbio, aperta bem esse cinto…

Anarquia não é confusão;
Anarquia não é desorganização;
Anarquia, do grego: an (sem) e arché (poder).

Anarquista não é sinônimo de desordeiro.

Anarquismo: movimento que luta por uma sociedade onde ninguém tenha poder sobre ninguém. Também podem ser chamados de ácratas, defensores da Acracia, do grego: an (sem) e kratos (governo). Os ácratas, ou anarquistas, querem uma sociedade em que ninguém governe ninguém. Pela ênfase que dão à liberdade e à negação de qualquer autoridade, são também conhecidos como libertários.

Anarquismo = Organização sem Autoridade.





ANOS 80

21 07 2009

TEM SAUDADES DOS ANOS 80? MATE-A COM ALGUMAS IMAGENS QUE FARAM VC RELEMBRAR O PASSADO, BONS TEMPOS BOAS COISAS“.

bozo-150x150
cigarinhochocolate-150x150

atari-150x150

carinhotrombada-150x150

ioio-150x150

kichute-150x150

minicocacola-150x150

pirocoptero-150x150

pensebem-150x150

molamaluca-150x150